.

.

.

.
Recebo-te com flores,
abraço-te em luzes,
entrego-te meus sonhos,
escritos e descritos
em cada frase sentida.

⊰Marcia Mattoso⊱

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

AMOR DE OCASIÃO

No começo, uma paixão,
uma loucura na solidão,
então virou ilusão,
um sonho na imensidão
da decepção.
Depois foi emoção,
casual, sensual,
banal, carnal.
Transformou-se,
caso do acaso,
no encontro desencontrado,
do coração descompassado,
no amor descompromissado.
Sem exclusividade,
sem definição,
um amor de ocasião.

Marcia Mattoso 

QUESTÕES


Serei novamente EU?
Serei novamente feliz?
Terei novamente alguém?
Terei novamente paz?
Quero pouco,
ou será que é muito?
Sonhos para sonhar,
canções para encantar,
amores para amar.
Será muito desejar?

Marcia Mattoso




domingo, 16 de agosto de 2009

PERDIDA



Pés no chão, cabeça na lua,
assim sou...
vivo a tropeçar pelo caminho,
em total desalinho.
Minha vida é vazia,
minha alma é vadia,
minha mente é vulgar.
Meto os pés pelas mãos
em constante confusão
e sem nada a declarar,
viro meu mundo
de pernas para o ar.
Minha cabeça não pensa,
meu corpo padece,
carece de alma,
meu coração se aquece
e se esquece de brincar
de amar...
sem pensar, sem sonhar.

Marcia Mattoso

- Niterói, 01/08/09 -

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

SOL DA VIDA

Mal começa o dia, muito barulho
e confusão na construção.
É a vida lá fora!
Uma luz forte entra pela fresta
da janela, na cortina.
É o sol lá fora!
Um sol lindo, brilhante, radiante,
como há muito não se tinha,
não sentia, não se via.
A vida me chama, pede pra acordar,
pede pra levantar:
"Vamos, Aproveita o dia,
deixa a vida te levar!"
E o sol a iluminar, levanto mais feliz,
vivo o que o momento diz,
saio a caminhar, pés descalços
na areia ainda gelada na praia.
Sol forte na manhã, leve brisa no ar
e eu a pensar em tudo, em nada,
doce caminhada!
Momento único, mágico, precioso,
Onde me encontro, cabelos ao vento,
na areia, junto ao mar, a me deliciar,
com o brilho intenso de um sol majestoso
e da vida a clamar por vida.

Marcia Mattoso

- Santos, 13/08/09 -

domingo, 9 de agosto de 2009

PAPAI

Papai, te amo!
Te amo por tudo
te amo por nada...
pelas palavras
sempre tão precisas
e certeiras em cada problema.
Um homem bravo, rígido,
mas que hoje vejo,
era meigo e apaixonado
por nós todos, os seis filhos!
Te amo em cada bronca,
cada olhar de censura,
tudo que eu detestava
e que hoje sinto falta.
Sinto falta de você!
Mas sinto...
você nunca me abandona.
Sei que chora comigo
quando choro,
sorri quando me vê feliz.
Sei que você sempre me amou,
a seu modo, amou muito!
E hoje eu percebo,
como foi bom ter você comigo!
Papai, te amo...
sempre e para sempre!

Marcia Mattoso

terça-feira, 4 de agosto de 2009

CHUVA

Chuva fina na caminhada,
passo a passo, passo
na calçada iluminada.
Sinto um braço, num abraço
a me aquecer,
mas ao olhar, nada acho,
não encontro você.
Chuva fina, minha sina
é te buscar,
me defina nesta arte
de amar, desejar.
Chove lá fora,
chove minha alma,
que nunca acalma.
Chove, chuva, chuva, chove.

Marcia Mattoso

.

.